Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog PT Empresas

Conheça e inspire-se para melhorar o seu negócio. Siga as últimas tendências tecnológicas e conheça histórias de sucesso.

Honor 9, um smartphone low cost que supera alguns "gigantes"

Honor 9, um smartphone low cost que supera alguns "gigantes"

Desde o lançamento do primeiro smartphone que a tecnologia tem evoluído. Sucedem-se as marcas que abraçaram o desafio montado no sistema Android mas há sempre as que se destacam por algum motivo.

 

O Honor 9 que integra a gama digital da Huawei, é vendido em exclusivo através da Internet, vem acompanhar as exigências dos utilizadores que já tinham adoptado a versão anterior deste smartphone e assume um posicionamento de líder de uma tendência.

 

Este smartphone é apresentado com cores e efeitos de reflexos, conseguido através da forma como as camadas da parte traseira são construídas em vidro e metal. Com vidro curvo 3D e cores distintas. As texturas nano gravadas no vidro com tecnologia de fotofabricação, juntamente com a curva criada através de um processo de dilatação térmica, fazem com que o brilho do Honor 9 vá além do vidro.

 

O Honor 9 prima pela qualidade e pelo custo reduzido. O facto de incluir o sistema EMUI da Huawei (versão 5.1), que também dá vida aos modelos premium da marca chinesa, como o P9 e P10, é uma mais valia que os utilizadores privilegiam. Mas há mais características que podem convencer o público alvo a optar por este modelo.

 

Durante o teste realizado, uma funcionalidade chamou de imediato a atenção, a possibilidade de captar fotos em 3D panorama. O efeito é avassalador e só peca pela falta de possibilidade de utilização direta nas redes sociais. No entanto, quem experimenta, fica deliciado com o efeito e resultado final. E, só por esta funcionalidade, o Honor 9 cativa de imediato quem o experimenta.

 

Fonte da marca assegura que a Fyuse, empresa com a qual a Huawei fez o acordo para incluir esta funcionalidade de origem no Honor, está a desenvolver esforços para colmatar esta falha. A Fyuse é uma aplicação que pode ser usada mesmo no P9, apenas não esta incluída nas funcionalidades da câmara.

 

 

Mas o Honor 9 também chama a atenção pelo aspecto exterior. Assume-se como um "trend-setter que combina design, moda e funcionalidade". É um smartphone Dual SIM, o que significa que permite funcionar com dois cartões SIM, mesmo que sejam de diferentes operadores. Uma funcionalidade que não está incluída nos modelos de topo e que poderia evitar o trabalho de andar com dois telemóveis (o pessoal e de trabalho).

 

Continuando no campo da duplicação, as duas câmaras traseiras (uma com 12 MP e outra com 20 MP) também permitem manter este modelo com um nível de qualidade elevado no que respeita à fotografia. Algo a que a Huawei já habituou os consumidores e que mantém neste modelo, apesar de se notar a ausência da referência à Leica. No fundo, este Honor 9 apresenta mudanças muito semelhantes à aposta feita com o P10.

 

Certamente que a empresa chinesa aproveitou ao máximo o conhecimento e experiência obtido com os modelos topo de gama e que vieram abalar o mercado dos telemóveis ao nível da fotografia e vídeo em HD.

 

Este Honor 9, além de seguir o caminho de design aplicado ao P10, é muito semelhante, em termos de aspecto, ao concorrente iphone 7 e o design curvo aproxima-o de uma concorrência direta ao S8 da Samsung. Mesmo o funcionamento do botão home (que também serve de leitor de impressão digital), colocado fora do espaço do visor, aproxima este modelo do revolucionário da Apple. Estratégia já adoptada no P10. A famosa bolinha, quadrado e triângulo desapareceram do ecrã táctil com as funcionalidades a serem realizadas na parte inferior, à esquerda e direita do botão home.

 

honor9_botoes.jpg

O ecrã de 5,15 polegadas, o mais recente processador da empresa, o Kirin 960, uma RAM de 4GB ou 6GB e um armazenamento interno de 64 ou 128GB que pode ainda ser expandido através de um cartão microSD até 256 GB (eliminando, neste caso, a utilização de dois cartões SIM) são mais do que atraentes para quem deseja um telemóvel com resposta rápida. A bateria é de 3200 mAh e, como não podia deixar de ser, o equipamento possuí carregamento rápido.

 

O preço de venda talvez seja aquilo que mais atrai os consumidores a quem se dirige. Começa nos 459,90 euros na versão mais baixa. Para já, Portugal vai receber a versão de 64GB e 4GB de RAM mas a empresa não descarta a possibilidade de disponibilizar também a versão mais avançada, com 128GB e 6GB de RAM.

 

As características da fotografia noturna, acima da média, são outro dos indicadores que aproximam este modelo do recente P10. As experiências realizadas com a fotografia em condições de pouca luz são animadoras e vão, certamente, ao encontro do público alvo. É possível captar imagens com qualidade durante apresentações onde as condições de luz são mais reduzidas e mesmo para um público mais jovem e que capta imagens em festas, discotecas e eventos noturnos, esta será uma escolha acertada.

 

Um smartphone útil, por exemplo, para as empresas que precisam de registar momentos nos eventos de música que patrocinam ou onde exercem actividade para divulgação nas redes sociais.

 

A venda deste modelo, já se sabe, é exclusiva das lojas online.