Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog PT Empresas

Conheça e inspire-se para melhorar o seu negócio. Siga as últimas tendências tecnológicas e conheça histórias de sucesso.

Disaster Recovery as a Service: Estar preparado para uma catástrofe

Disaster Recovery as a Service: Estar preparado para uma catástrofe

O Francisco é gestor de uma empresa líder no seu sector. Apostou na digitalização do negócio e os processos são ágeis, modernos e eficientes. Cumpre as regras, guarda toda a documentação e mantém os dados bem guardados em servidores numa sala específica, fechada mas bem arejada.

 

Um abatimento de terra na rua provocou um curto circuito e afectou estruturalmente o edifício da empresa. De um momento para o outro, o Francisco ficou com a empresa parada, sem acesso à informação que tinha guardada religiosamente nos servidores. Numa primeira fase, nem sequer sabe se o curto circuito afectou os servidores de forma irreparável.

 

Os engenheiros seguem o plano de contingência para estas situações e encerram as instalações até conseguirem avaliar o risco. Chegam à conclusão que o edifício foi afectado de forma irreparável e que não é seguro voltar a utilizá-lo. Mais tarde, o Francisco percebe que os servidores ficaram afectados e que toda a informação se perdeu. Contactos, aplicações, documentos cruciais para o negócio. De nada lhe valeu fazer uma cópia local da informação.

A empresa do Francisco está entre as que nunca mais abrem portas depois da ocorrência de uma catástrofe.

A partir do momento em que uma empresa abre as portas o negócio fica sujeito a qualquer tipo de imprevisto ou acidente. Ninguém gosta de pensar no assunto mas, quando o azar bate à porta, todo o investimento realizado na antecipação e proteção dos dados é compensado pela rapidez com que a empresa regressa ao ativo.

 

Uma catástrofe natural, um incêndio, inundação, tremor de terra ou um "simples" curto-circuito podem ocorrer quando menos se espera. Além dos eventos devido a falhas humanas, a natureza é imprevisível e pode deixar uma empresa completamente parada. Os dados demonstram que cerca de 43% das empresas que atravessam uma crise deste género, encerram as portas definitivamente pois, com a perda de dados, ficam sem capacidade para se erguer. Os estudos demonstram ainda que 29% das empresas que sofreram um desastre, acabaram por encerrar em dois anos. Tudo devido aos elevados custos de reposição do negócio.

 

Nesta fase, a empresa do Francisco está entre estes 43% pois terá de recomeçar tudo do início, o que implica um elevado custo financeiro.

 

Por isso, tal como noutras situações, ter um plano de recuperação e backup bem definidos podem fazer a diferença. É neste momento que o plano de Disaster Recovery faz a diferença ao garantir a continuidade do negócio em caso de desastre através de mecanismos de replicação e recuperação de dados.

 

A maioria das empresas que depende das Tecnologias de Informação possuem um plano de Disaster Recovery mas muitas ainda operam com sistemas antigos, localmente, tal com a empresa do Francisco. Diversos estudos e situações reais têm demonstrado que um plano assente na cloud tem vantagens substancais a diversos níveis. Afinal, quando uma catástrofe ocorre, nem os servidores locais, onde estão alojados os backups, ficam livres de perigo.

 

As empresas de média dimensão cujo plano de Disaster Recovery (DR) estão baseadas em serviços de cloud computing, voltam a funcionar quatro vezes mais rapidamente do que as outras organizações. A conclusão é de um estudo do Aberdeen Group, que analisou a experiência das PMEs com as suas estratégias de DR.

 

Por isso, optar por uma solução empresarial de Disaster Recovery as a Service (DRaaS) permite a replicação de dados e a recuperação de infraestruturas de Tecnologias de Informação (TI) virtuais, críticas para a continuidade de negócio, em caso de desastre.

 

A qualquer momento, quer o ambiente virtual de Disaster Recovery – site secundário – quer os dados replicados encontram-se sempre seguros na cloud.

 

Proteção contínua e resiliente

O custo das soluções de Disaster Recovery as a Service são relativamente baixos tendo em conta as vantagens e garantia de segurança que fornecem. Mas, nos dias de hoje, há algo muito relevante e no qual só se pensa quando os dados se perdem: proteção contínua de dados ou Continuous Data Protection (CDP) e resiliência. Este conceito é a melhor forma de proteger os dados e melhorar a probabilidade de os recuperar. Baseia-se sobretudo na tecnologia de armazenamento em disco, para melhorar a eficácia do backup.

Com este sistema de DRaaS, as empresas podem testar o processo de recuperação a qualquer momento.

Ficheiros, bases de dados, repositórios de correio electrónico e sistemas inteiros podem ser recuperados em minutos em vez de horas. Isto significa que após uma qualquer catástrofe, a empresa pode voltar a funcionar em alguns minutos, em vez de ficar parada horas, dias ou definitivamente

 

No fundo, aquilo que faz com que uma empresa encerre as portas, porque tudo ficou perdido, desde um simples contacto a um projeto relevante, está acessível a partir do clicar de um simples botão.

 

Algumas das vantagens do DRaaS assentam na própria operacionalidade do sistema como a replicação de máquinas virtuais (Virtual Machines) baseada em imagem e que garante em permanência a disponibilidade das aplicações críticas para o negócio.

 

Tal como num sistema de prevenção de evacuação, é preciso testar os sistemas de forma regular. Com este sistema de DRaaS, as empresas podem testar o processo de recuperação a qualquer momento, através de um simples botão desde a simulação de falha até à reposição da infraestrutura replicada em caso de acidente.

 

Atualmente, a concorrência é feroz e todos os pormenores devem ser levados em conta. A indisponibilidade do serviço por tempo prolongado, associado à perda de dados, pode significar a perda total do negócio.

 

Para o Francisco, o investimento realizado num plano de DRaaS foi uma gota perante o cenário que estava a viver. Em pouco tempo, noutro local, teve acesso a toda a sua informação e aplicações e, enquanto decorriam os trabalhos para repor a sede da empresa, usufruiu do serviço de Business Continuity.

 

Principais vantagens do DRaaS

  • Segurança - Ao optar por um serviço líder de mercado e com uma plataforma de última geração que garante elevados​ padrões de segurança (incluindo criptografia e cópia), o seu negócio está sempre protegido.
  • Custo reduzido - Reduza os seus custos através da implementação de soluções partilhadas de recuperação de infraestruturas tecnológicas, com base num modelo mensal, sem custos iniciais.
  • Simplicidade - Aceda a um portal simples e fácil de manusear, que permite gerir a replicação dos seus dados de forma autónoma através de um assistente de configuração (wizard).
  • Agilidade - Este portal permite dar resposta a novos projetos, necessidades aplicacionais ou alterações no negócio, ajustando a capacidade de TI de forma flexível e em tempo real.

Artigos Relacionados

  • TEM A CERTEZA QUE OS SEUS DADOS ESTÃO SEGUROS?

    Há quantos anos tem o seu computador, smartphone ou tablet? Quantos anos, GB de informação tem armazenados apenas localmente?Saiba mais

  • A SEGURANÇA É IMPORTANTE. NÃO DEIXE A COMPONENTE DIGITAL DA SUA EMPRESA DESPROTEGIDA

    Quando se fala em segurança da empresa o primeiro pensamento está normalmente relacionado com o acesso físico e não com a informação e as plataformas digitais.Saiba mais

  • WHITE PAPER: SEGURANÇA, UMA ESTRATÉGIA END TO END PARA A SUA EMPRESA

    Nenhuma organização pode dizer que está 100% segura contra os ataques informáticos e por isso a lógica tem de ser a de criar um perímetro de segurança robusto.Saiba mais

Soluções Recomendadas

  • Disaster Recovery

    DISASTER RECOVERY

    Assegure a continuidade do seu negócio.Saiba mais

  • Business Continuity

    BUSINESS CONTINUITY

    Para que a sua atividade não pare.Saiba mais

  • Soluções Cloud

    SOLUÇÕES CLOUD

    Soluções que facilitam negócios todos os dias.Saiba mais