Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog PT Empresas

Conheça e inspire-se para melhorar o seu negócio. Siga as últimas tendências tecnológicas e conheça histórias de sucesso.

Balanço de gestão: 10 erros a evitar em 2018

Balanço do ano: 10 erros que um gestor líder deve evitar em 2018

Chegou o final do ano, tempo de balanço para as empresas e para a vida pessoal. E esta análise deve também ser feita de forma crítica às funções de liderança. Existem diversos modelos mas aquele que deve privilegiar é a autoavaliação, tendo em conta e sempre presente que o mundo não gira à volta de um líder (muito menos de um "chefe"). 

 

O verdadeiro líder é aquele que segue na frente mas entusiasma as equipas, as ajuda a atingir objetivos e assume a sua parte da equação. Nem sempre é fácil passar a mensagem, delegar, acreditar que outra pessoa que não o próprio consegue levar a cabo uma determinada tarefa. Mas, delegar, acreditar nas capacidades da equipa, é um dos factores cruciais para o sucesso, pessoal e da empresa.

 

Para o ajudar a fazer este balanço de final de ano, e a preparar a entrada em 2018, aqui ficam alguns dos erros que um líder deve evitar cometer.

 

1 - Falha na determinação de objetivos - Este é um erro comum e que já deve ter sido cometido pelo menos uma vez na vida de um gestor. Uma equipa, nem que seja de apenas um elemento, precisa de objetivos bem definidos, de perceber onde se quer chegar. Muitas vezes, os gestores pecam por não dar a este tema a dedicação necessária. Imagine que a equipa é a tripulação de um barco a remos, se todos souberem para onde ir, irão remar harmoniosamente, mais depressa ou mais devagar, conforme as circunstâncias solicitadas, mas todos sabem para onde vão. Andar à deriva, com cada um a remar para seu lado, é a consequência de falhar neste ponto.

 

2 - Eu sou o centro do mundo - Muitos gestores pensam que são o centro do mundo. Que tudo gira à sua volta e que sem eles nada funciona. Aprenda a delegar funções, a distribuir tarefas. Ao acumular tudo nos seus ombros todos os prazos vão falhar e a equipa, além de se sentir excluída, pouco ou nada poderá fazer para ajudar. Tem de permitir que, depois de traçados os objetivos, a equipa tome algumas decisões de forma a agilizar processos e, desta forma, obter os resultados estabelecidos. Com a autonomia vem a responsabilidade e ainda mais empenho. Se ainda não o fez, experimente delegar funções, e será agradavelmente surpreendido.

 

3 - Delegar é diferente de desligar - Ao delegar, não significa que vai deixar de estar atento às necessidades da equipa e de, eventualmente, fazer ajustes através da realização de pontos de situação regulares. Esta interação ajuda a manter as equipas motivadas e a sentir que o seu trabalho é valorizado.

 

4 - Decidir sozinho, sem ouvir os outros - A decisão é sempre do gestor mas talvez seja bom envolver a equipa na tomada de decisões, pedir opiniões e sugestões. No final, compete ao gestor, ao líder, decidir, mas todos vão sentir que fazem parte da solução e, desta forma, será mais fácil atingir os objetivos. (Está interligado com o ponto 1).

 

5 - O receio da tecnologia - Muitos gestores receiam a digitalização de processos. Em parte porque não dominam esta área mas também porque receiam os custos. Enfrente este processo como algo positivo, que vai ajudar a melhorar a eficácia e a eliminar alguns aspectos burocráticos. Ao digitalizar, moderniza a empresa, ultrapassa processos que levam a atrasos em relação à concorrência. Lembre-se que, hoje em dia, é possível digitalizar o negócio, adoptar ferramentas de apoio à gestão, sem investimentos iniciais, graças aos sistemas As a Service, fornecidos por empresas especialistas. O custo é escalável e pode adaptá-lo às necessidades de cada momento.

 

6 - Componente emocional - Gerir uma empresa é mais do que olhar para folhas de Excel. Os colaboradores são pessoas que, tal como os gestores, possuem uma vida pessoal com alegrias e tristezas que contribuem para o seu estado de espírito. Cada um tem de lidar com os seus problemas e, em teoria, estes jamais devem interferir com as funções laborais. Mas um bom líder mostra que sabe estar atento aos pormenores, que o colaborador não é apenas mais um. Esta preocupação com a componente emocional resulta em colaboradores mais empenhados, motivados, pois sabem que podem contar com o líder para os apoiar. Desta forma, dão sempre um pouco mais para compensar os momentos em que a empresa facilita quando é necessário.

 

7 - A palmadinha nas costas - Muitos gestores consideram que cada colaborador, quando faz bem, não faz mais do que a sua obrigação. Até pode ser verdade, mas, voltando ao ponto anterior, todos gostam de ouvir que fizeram um "bom trabalho". Lembra-se que sempre que alguém falha, esse aspeto é enaltecido? Elogiar custa muito pouco e tem um impacto relevante na motivação. Não se trata apenas de uma palmadinha nas costas mas de encorajar a continuar a melhorar! Além disso, há a tentação de criticar em público e elogiar em privado. Experimente fazer isto ao contrário. Em vez de humilhar, aposte nos aspetos positivos em público, e verá como os restantes membros da equipa vão esforçar-se para merecer o mesmo tratamento.

 

8 - Dar tempo para a família - Vivemos numa Era em que o tempo é um bem escasso. Restam poucas horas para além do trabalho. Este é um dos erros mais comuns: sobrecarregar os colaboradores até à exaustão, sem tempo para a família e vida pessoal. Um bom líder tem isto em consideração e evita sobrecarregar com tarefas e prazos praticamente impossíveis de cumprir. Os resultados destas ações podem ser catastróficos. Lembre-se, se tem um filho ou familiar doente, por exemplo, por mais profissional que seja, vai estar sempre com uma preocupação e a produtividade poderá ficar mais prejudicada por estar longe do familiar doente do que facilitar um par de horas para que cada um possa encaminhar o seu "problema pessoal".

 

9 – Compromissos financeiros - No início, todos os gestores se preocupam com orçamentos, com as contas, os compromissos assumidos. Com o tempo, muitos acabam por descurar esta componente contribuindo para o desequilíbrio financeiro das empresas. Lembre-se, o negócio nem sempre vai estar em alta, mas os compromissos financeiros e fiscais são fixos. Por isso, mantenha as contas atualizadas e controladas. Hoje em dia não precisa de passar horas sem fim a olhar para papéis, há softwares que, depois de customizados inicialmente, mantêm as contas atualizadas e até lançam alertas sempre que quiser.

 

10 - Formação - ninguém nasce ensinado e aprendemos até morrer. Este é um lema que todos os líderes e gestores devem assumir. Todos os dias há algo novo para aprender e o gestor deve manter abertas as portas da formação. Para si e para os seus colaboradores. Um bom líder mantém a equipa na liderança do conhecimento e desta forma, a empresa na liderança de mercado.

 

Tendo em conta estes 10 temas, prepare 2018 com otimismo e olhe para as novas tecnologias, para a digitalização da sua empresa como uma ferramenta que pode relançar e impulsionar o negócio no ano que vai entrar.

Artigos Relacionados

  • White Paper Colaboração: A mudança silenciosa no posto de trabalho

    Faça já o download deste White Paper e saiba como melhorar a colaboração da sua empresa.Saiba mais

  • Escritório virtual, tornar o mundo num open space

    É preciso assumir que o trabalho é uma atividade e não um posto, que pode ser realizada em qualquer parte graças ao alojamento em cloud.Saiba mais

  • Liderança estratégica - o caminho certo para fazer crescer a empresa

    Equilibrar as contas, conquistar novos clientes, motivar as equipas, tomar as melhores decisões em processos de negociação com fornecedores e parceiros.Saiba mais

Soluções Recomendadas

  • Cloud Backup

    Cloud Office 5.0

    Salvaguarde toda a informação do seu negócio e assegure a recuperação dos seus sistemas.Saiba mais

  • Soluções Cloud

    SOLUÇÕES CLOUD

    Soluções que facilitam negócios todos os dias.Saiba mais

  • Colaboração

    COLABORAÇÃO

    Dê mais mobilidade e flexibilidade à sua empresa.Saiba mais